Ads 468x60px

quarta-feira, 30 de março de 2011

Morre José Alencar, ex vice presidente recentemente convertido

Morreu José Alencar, ex vice presidente do Brasil durante os oito anos de governo Lula e um dos mais carismáticos políticos da nação, ganhando notoriedade por sua luta por juros mais baixos para a população.Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Se hoje ainda há muitas dúvidas sobre qual era religião de José Alencar, as mesmas não parecem mais adiantar muito. O que é fato é a mudança de comportamento do ex vice presidente nos últimos dois anos e meio quando deixou de comparecer as missas da Igreja Católica perto de sua casa e começou a ser frequentemente visto em cultos de algumas igrejas evangélicas, principalmente na Igreja Universal do Reino de Deus onde subiu ao púlpito algumas vezes nesse período.

Em uma de suas mais famosas palestras na Igreja Universal, ganhando a mídia a exatamente um ano, o político subiu ao púlpito para dar seu testemunho para outros empresários. Contou sobre seus problemas e seu câncer que, embora a anos estivesse lhe atormentando, milagrosamente estava começado a regredir após então 12 anos de luta. O tempo da mudança coincidiu exatamente com o período que começou a frequentar a Igreja Universal, mas com suas frequentes internações não conseguiu ter uma frequência de visitas e estabilidade na religião evangélica.

Segundo o Senador Aécio Neves, mineiro como José Alencar, “Deus estava esperando pelo ex vice presidente”. Seu amigo Marcelo Crivella, Bispo licenciado da IURD, falou em carta aberta sobre a trajetória e conversão de José: “Sendo tão rico, de tudo se despoja, para buscar na fé em Deus a salvação da sua alma em Cristo”. Em seu twitter o Pastor Ricardo Gondim filosofou sobre a morte do político: “Passamos, somos uma leve poeira que o vento levanta. Eternizemos os instantes vividos com beleza, doçura e solidariedade”.

José Alencar morreu nesta terça, dia 29 de Março de 2011, aos 79 anos devido ao câncer e falência multipla dos órgãos. Sua luta contra os tumores começou 1997 e durante quase 14 anos teve 17 cirurgias, perdeu um rim, 2/3 do estômago e parte dos intestinos delgado e grosso, mas continuou vivo, lutando e com fé.

Líderes evangélicos apoiam ação militar dos Estados Unidos contra a Líbia

O Presidente dos EUA Barack Obama apontou para as questões humanitárias em defesa da sua decisão de apoiar a ação militar na Líbia, durante um discurso televisionado na National Defense University, em Washington, DC na noite de segunda-feira.Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Obama está sob pressão, especialmente dos membros do Congresso, para explicar o motivo e a missão dos EUA em assumir um grande papel no ataque aéreo contra a Líbia. Os Estados Unidos dispararam 200 mísseis perto de Tomahawk, na Líbia, o que custa entre US $ 250 milhões e US $ 300 milhões.

“Haverá momentos, porém, quando a nossa segurança não esteja diretamente ameaçada, mas sim os nossos interesses e valores,” disse Obama. “Estes podem não ser somente problemas da América, mas eles são importantes para nós … e, nessas circunstâncias, sabemos que os Estados Unidos, como nação mais poderosa do mundo, muitas vezes será chamada a ajudar.”

Desde o mês passado, mais de mil pessoas morreram na rebelião sangrenta contra o homem forte da Líbia, Muammar al-Gaddafi, que governa com mão de ferro durante mais de quatro décadas.

Durante o discurso de Obama, ele enfatizou que Gaddafi tinha chamado os rebeldes de “ratos” e teve uma longa história de assassinatos aos “adversários nacionais e no exterior.”

“Para deixar de lado a responsabilidade dos Estados Unidos como um líder e mais profundamente nossas responsabilidades para com nossos companheiros seres humanos em tais circunstâncias, teria sido uma traição de quem somos,” disse Obama “Algumas nações podem ser capaz de fazer vista grossa às atrocidades cometidas em outros países. Os Estados Unidos da América são diferentes. E como presidente, me recusei a aguardar as imagens de túmulos e abate em massa antes de agir.”

O presidente também citou a resposta da comunidade internacional para a “crise humanitária” na nação Norte-Africana.

“Como temos na Líbia, a nossa tarefa é, ao invés de mobilizar a comunidade internacional para a ação coletiva,” disse Obama. “Porque ao contrário do que dizem alguns, a liderança Americana não é simplesmente uma questão de ir sozinho e carregar o todo o fardo sobre nós mesmos.”

No sábado, os aviões franceses interromperam com sucesso os avanços de Gaddafi em território controlado pelos rebeldes. Os navios de guerra britânicos e americanos lançaram mais de 140 mísseis de longo alcance Tomahawk contra alvos militares em Misurata e Trípoli. Um edifício no complexo de Gaddafi foi atingido, embora o Pentágono negue que o ditador líbio esteja ativamente sendo alvejado.

Encorajado por ataques aéreos, os rebeldes lançaram uma contraofensiva da sua fortaleza em Benghazi, apontando de volta as forças pró Gaddafi em um impulso para o oeste em direção à capital líbia de Trípoli. Na segunda-feira, os rebeldes reunidos em torno da terra natal de Gaddafi em Sirte, uma cidade conhecida tanto por seu significado simbólico e valor estratégico. Os rebeldes terão um caminho aberto para Tripoli caso consigam tomar a cidade. Se não, um impasse entre forças rebeldes e o governo provavelmente vai ocorrer.

Obama anunciou na quarta-feira passada que os EUA vão em breve mudar de liderança operacional para o comando da OTAN, mas não ofereceu nenhuma estimativa de quando o conflito da Líbia vai terminar.

Os líderes conservadores evangélicos dos Estados Unidos foram amplamente favoráveis ​​à causa para a ação militar, mas criticaram a rapidez da resposta de Obama à crise.

“Pelo menos no final estamos fazendo a coisa certa,” disse Richard Lang, presidente de ética e Liberdade Religiosa da Comissão da Convenção Batista do Sul, em seu programa semanal de rádio. “Eu só espero e oro para que não seja tarde demais, porque Gaddafi está assassinando seus concidadãos, massacrando-os – é assim que parece o mundo sem a liderança dos EUA.”

Na página da Web Breakpoint, o fundador do ministério Chuck Colson disse que a mostra internacional de força deve refletir “a tradição cristã da guerra justa.”

“Para ser justa, uma ação militar deve ser por justa causa e feita pelo motivo certo. Ela deve ser conduzida por uma autoridade legítima, como último recurso,” escreveu Colson. “Não posso imaginar uma resposta mais justa e proporcional ao massacre de pessoas inocentes do que estabelecer uma zona de exclusão aérea. Então, eu estava confuso e decepcionado pela falta de ação da nossa nação.”

Do outro lado do Atlântico, no entanto, no Reino Unido evangélicos expressam preocupações de que o conflito da Líbia possa se transformar em “outro ao Iraque.”

“Reconhecemos que existem muitas atitudes diferentes em relação à guerra entre os Cristãos, mas a guerra é sempre lamentável e deve ser encarada como um último recurso,” disse Steve Clifford, diretor-geral da Aliança Evangélica na Grã-Bretanha. “Pedimos que a campanha atual da ONU não vá além do seu mandato e que as vidas dos civis sejam protegidos de toda forma possível.”

Mas nem todos os evangélicos têm sido apanhados nas implicações políticas do conflito armado na nação rica em petróleo. A Portas Abertas, um ministério que monitora perseguição contra os Cristãos, expressou preocupação para a minoria cristã da Líbia, cuja situação tem sido quase sempre ignorada pela mídia do mundo.

“Com tudo o que está acontecendo na Líbia, é vital que oremos para os Cristãos nesta região,” disse o Presidente / Diretor Executivo, Carl Moeller, da Portas Abertas nos EUA. “é um momento perigoso para todos os cidadãos na Líbia, mas especialmente para a população da minoria cristã. Por favor, orem para que o Senhor os proteja durante este tempo traiçoeiro.”

Líderes evangélicos apoiam ação militar dos Estados Unidos contra a Líbia

O Presidente dos EUA Barack Obama apontou para as questões humanitárias em defesa da sua decisão de apoiar a ação militar na Líbia, durante um discurso televisionado na National Defense University, em Washington, DC na noite de segunda-feira.Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Obama está sob pressão, especialmente dos membros do Congresso, para explicar o motivo e a missão dos EUA em assumir um grande papel no ataque aéreo contra a Líbia. Os Estados Unidos dispararam 200 mísseis perto de Tomahawk, na Líbia, o que custa entre US $ 250 milhões e US $ 300 milhões.

“Haverá momentos, porém, quando a nossa segurança não esteja diretamente ameaçada, mas sim os nossos interesses e valores,” disse Obama. “Estes podem não ser somente problemas da América, mas eles são importantes para nós … e, nessas circunstâncias, sabemos que os Estados Unidos, como nação mais poderosa do mundo, muitas vezes será chamada a ajudar.”

Desde o mês passado, mais de mil pessoas morreram na rebelião sangrenta contra o homem forte da Líbia, Muammar al-Gaddafi, que governa com mão de ferro durante mais de quatro décadas.

Durante o discurso de Obama, ele enfatizou que Gaddafi tinha chamado os rebeldes de “ratos” e teve uma longa história de assassinatos aos “adversários nacionais e no exterior.”

“Para deixar de lado a responsabilidade dos Estados Unidos como um líder e mais profundamente nossas responsabilidades para com nossos companheiros seres humanos em tais circunstâncias, teria sido uma traição de quem somos,” disse Obama “Algumas nações podem ser capaz de fazer vista grossa às atrocidades cometidas em outros países. Os Estados Unidos da América são diferentes. E como presidente, me recusei a aguardar as imagens de túmulos e abate em massa antes de agir.”

O presidente também citou a resposta da comunidade internacional para a “crise humanitária” na nação Norte-Africana.

“Como temos na Líbia, a nossa tarefa é, ao invés de mobilizar a comunidade internacional para a ação coletiva,” disse Obama. “Porque ao contrário do que dizem alguns, a liderança Americana não é simplesmente uma questão de ir sozinho e carregar o todo o fardo sobre nós mesmos.”

No sábado, os aviões franceses interromperam com sucesso os avanços de Gaddafi em território controlado pelos rebeldes. Os navios de guerra britânicos e americanos lançaram mais de 140 mísseis de longo alcance Tomahawk contra alvos militares em Misurata e Trípoli. Um edifício no complexo de Gaddafi foi atingido, embora o Pentágono negue que o ditador líbio esteja ativamente sendo alvejado.

Encorajado por ataques aéreos, os rebeldes lançaram uma contraofensiva da sua fortaleza em Benghazi, apontando de volta as forças pró Gaddafi em um impulso para o oeste em direção à capital líbia de Trípoli. Na segunda-feira, os rebeldes reunidos em torno da terra natal de Gaddafi em Sirte, uma cidade conhecida tanto por seu significado simbólico e valor estratégico. Os rebeldes terão um caminho aberto para Tripoli caso consigam tomar a cidade. Se não, um impasse entre forças rebeldes e o governo provavelmente vai ocorrer.

Obama anunciou na quarta-feira passada que os EUA vão em breve mudar de liderança operacional para o comando da OTAN, mas não ofereceu nenhuma estimativa de quando o conflito da Líbia vai terminar.

Os líderes conservadores evangélicos dos Estados Unidos foram amplamente favoráveis ​​à causa para a ação militar, mas criticaram a rapidez da resposta de Obama à crise.

“Pelo menos no final estamos fazendo a coisa certa,” disse Richard Lang, presidente de ética e Liberdade Religiosa da Comissão da Convenção Batista do Sul, em seu programa semanal de rádio. “Eu só espero e oro para que não seja tarde demais, porque Gaddafi está assassinando seus concidadãos, massacrando-os – é assim que parece o mundo sem a liderança dos EUA.”

Na página da Web Breakpoint, o fundador do ministério Chuck Colson disse que a mostra internacional de força deve refletir “a tradição cristã da guerra justa.”

“Para ser justa, uma ação militar deve ser por justa causa e feita pelo motivo certo. Ela deve ser conduzida por uma autoridade legítima, como último recurso,” escreveu Colson. “Não posso imaginar uma resposta mais justa e proporcional ao massacre de pessoas inocentes do que estabelecer uma zona de exclusão aérea. Então, eu estava confuso e decepcionado pela falta de ação da nossa nação.”

Do outro lado do Atlântico, no entanto, no Reino Unido evangélicos expressam preocupações de que o conflito da Líbia possa se transformar em “outro ao Iraque.”

“Reconhecemos que existem muitas atitudes diferentes em relação à guerra entre os Cristãos, mas a guerra é sempre lamentável e deve ser encarada como um último recurso,” disse Steve Clifford, diretor-geral da Aliança Evangélica na Grã-Bretanha. “Pedimos que a campanha atual da ONU não vá além do seu mandato e que as vidas dos civis sejam protegidos de toda forma possível.”

Mas nem todos os evangélicos têm sido apanhados nas implicações políticas do conflito armado na nação rica em petróleo. A Portas Abertas, um ministério que monitora perseguição contra os Cristãos, expressou preocupação para a minoria cristã da Líbia, cuja situação tem sido quase sempre ignorada pela mídia do mundo.

“Com tudo o que está acontecendo na Líbia, é vital que oremos para os Cristãos nesta região,” disse o Presidente / Diretor Executivo, Carl Moeller, da Portas Abertas nos EUA. “é um momento perigoso para todos os cidadãos na Líbia, mas especialmente para a população da minoria cristã. Por favor, orem para que o Senhor os proteja durante este tempo traiçoeiro.”

Demônio concede entrevista a pastor e diz que vai matar mulheres que usam calça e brincos. Assista a entrevista


Mais um vídeo de exorcismo tem causado polêmica na internet, trata-se de um vídeo gravado em um culto pentecostal onde o pastor bate papo com o demônio incorporado em uma mulher.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O pastor segue perguntado para a “entidade” o que ela quer fazer naquela vida, sem demorar muito ele responde que quer matar, matar o familiar que bebe e que fuma e também a pessoa que usa calça e brincos.

Nessa hora o pastor conversa perguntando se o demônio pode matar uma pessoa que tem compromisso com Deus e o demônio responde que não. O pastor então pergunta se ele pode tocar nas pessoas que entregam o dízimo e oferta e a resposta também é negativa.

Em seguida o pastor ora expulsando o demônio e a mulher então levanta e glorifica ao Senhor. O vídeo foi postado em março de 2010 e já teve mais de 23mil visualizações. Nos comentários há discussões sobre se a possessão demoníaca do vídeo é verdadeira ou uma farsa do pastor.


Família rasga dinheiro e documentos, segue pastores para encontrar com Jesus em pessoa em São Paulo e desaparece


No dia 13, domingo, doze pessoas (número dos apóstolos) se reuniram na casa de Pedro, em Diadema, na Grande São Paulo, para “última ceia”, conforme afirmaram. Eles leram a Bíblia, escreveram recados para parentes, rasgaram dinheiro e documentos (CPF seria o número da besta) e quebraram instrumentos do demônio, como computador e televisor, preparando-se para o dia seguinte.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O pregador Roberto Carlos da Silva, com base em um calendário hebraico, calculou que Jesus voltaria à Terra por volta das 14h do dia seguinte e os levaria para o Pai, provavelmente em algum lugar da rodovia Fernão Dias. Seria o dia do arrebatamento, previsto na Bíblia.

Desde então o vendedor Pedro, sua mulher Antônia, seu irmão José Carlos e os filhos Henrique, 22, e Thais, 18, estavam desaparecidos. Eles haviam saído só com a roupa do corpo com a convicção de que um anjo os abordaria anunciando a chegada de Jesus.

Valcilene Dias, mulher de José Carlos, e os filhos do casal (a adolescente Carla e os meninos Rubens e Moisés) também saíram para o encontro com Jesus, mas voltaram quando sentiram sede e fome. Rubens, que participou da “ceia”, disse que o seu primo Henrique estava esquisito, porque dizia que “amanhã a gente vai para a glória”. “Eles estavam levando aquilo muito a sério”, disse Valcilene.

Antônia deixou um emprego em uma empresa onde estava havia 14 anos. Seu filho Henrique terminou a faculdade no ano passado, tinha emprego e era noivo. Thais também abandonou o emprego.

Patrícia Gomes Carvalho, filha de Antônia e enteada de Pedro, foi a primeira a notar o desaparecimento do casal e filhos. Ela mora com marido e dois filhos pequenos em uma casa vizinha à da família de religiosos.

Patrícia e outros vizinhos contaram que Pedro tinha mudado abruptamente de comportamento, influenciando toda a família. “Eles só falavam sobre o fim dos tempos e da volta de Jesus”, disse Patrícia.

Os vizinhos apontaram três pregadores que se revezavam na Praça da Sé, em São Paulo, como os responsáveis pelo fanatismo religioso da família. O líder deles, Roberto Carlos da Silva, é dono de uma pequena gráfica, ele deixou mulher, três filhos e dívidas.

Família encontrada 400 km depois

A família foi localizada neste domingo em Ourinhos (SP), a cerca de 400 km da cidade onde moram, Diadema, na Grande São Paulo. O casal Pedro e Antônio e os filhos Henrique e Thais foram reconhecidos por funcionários de um albergue. Eles passaram o fim de semana ali. Não há informação sobre os três pregadores.

Patrícia Gomes Carvalho, filha de Antônia e enteada de Pedro, ao manifestar alívio com a localização da família, lamentou os transtornos causados por “falsos profetas”. Ela agradeceu o apoio das pessoas que distribuíram em Diadema cartazes de “procura-se” e de comunidades criadas no Orkut.

A assistência social Márcia Moraes disse que a família está bem. De acordo com ela, Pedro afirmou que eles estavam cumprindo os desígnios da Bíblia.


terça-feira, 29 de março de 2011

Pesquisa revela: Evangélicos creem que desastres naturais são sinais de Deus para o fim do mundo


Uma pesquisa lançada nesta quinta-feira, questionando os entrevistados sobre Deus e os desastres naturais, revela que os evangélicos, mais que qualquer outro grupo, tendem a acreditar que os desastres naturais são sinais de Deus.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Cerca de seis a cada dez evangélicos entrevistados acreditam que os desastres naturais são sinais de Deus, de acordo com as pesquisas do Instituto de Pesquisa de Religião Pública. Em comparação, somente cerca de um terço dos Católicos (31 por cento) e principais Protestantes (34) acreditam que desastres naturais são sinais de Deus.

A pesquisa PRRI/RNS encontra que 67 por cento dos evangélicos acreditam que os desastres naturais são evidência do que a Bíblia chama de “fim dos tempos” comparados com 58 por cento de todos os pesquisados que veem isso como evidência de uma mudança de clima global. Dentre os Republicanos, 52 por cento acreditam que desastres naturais são evidência do fim dos tempos.

Daniel Cox, diretor de pesquisa da PRRI, disse da pesquisa, “Evangélicos Protestantes e Republicanos são muito mais prováveis de acreditar que desastres naturais são evidência do que a Bíblia chama de ‘fim dos tempos’ mais do que evidência de uma mudança de clima global.”

Uma parcela menor mas significativa dos evangélicos entrevistados – 52 por cento – acreditam que a mudança de clima global causou os desastres naturais recentes.

A pesquisa também encontra que 53 por cento dos evangélicos brancos acreditam que Deus pune nações pelos pecados dos cidadãos.

Ano passado, o televangelista Pat Robertson tinha exclamado que o terremoto do Haiti havia sido por sua história de vodu. Robertson fez uma declarações similares sobre o furacão de 2005 que devastou a Costa do Golfo, ligando a tragédia com o aborto.

Mas nenhum líder evangélico nos Estados Unidos tem publicamente interpretado a recente tragédia no Japão como sendo punição de Deus.

Os norte-americanos são apoiadores fortes na ajuda financeira do Japão, de acordo com a pesquisa. Mais de oito em 10 entrevistados diz que prover assistência financeira ao Japão é tanto muito importante ou de alguma maneira importante mesmo com os desafios econômicos em casa.

A pesquisa PRRI/RNS está baseada nas entrevistas telefônicas com 1008 adultos norte-americanos conduzida entre os dias 17 a 20 de março de 2011.

Ordem dos Jesuítas terá que pagar 166 milhões de dólares a vítimas de abusos sexuais por padres


Representantes dos Jesuítas dos Estados Unidos anunciaram nesta sexta-feira que a ordem religiosa aceitou pagar cerca de US$ 166 milhões (aproximadamente R$ 275 milhões) a vítimas de abusos sexuais cometidos pelos seus membros em cinco Estados do noroeste do país.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Nos Estados Unidos, quase 500 pessoas, a grande maioria delas indígenas, teriam sofrido abusos por parte de sacerdotes da ordem em escolas.

Além de pagar a indenização milionária – uma das maiores já autorizadas pela Igreja Católica -, os jesuítas concordaram também em enviar pedidos de perdão por escrito a suas vítimas.

Blaine Tamaki, um dos advogados das vítimas, disse que alguns de seus clientes esperaram quase 40 anos por um acordo.

Correspondentes dizem que a indenização é uma das maiores já pagas por instituições religiosas nos Estados Unidos.

A Ordem dos Jesuíta do Estado do Oregon entrou com um pedido de falência em 2009, alegando que as cerca de 200 indenizações pagas anteriormente haviam causado um prejuízo irreparável a seus cofres.

Muitos dos casos ocorreram em locais remotos, para onde padres que já eram acusados de abusos teriam sido transferidos.

Pastores ungem aparelho celular e entram em chiqueiro usando porcos para ilustrar fiéis. Assista

Alguns pastores da Igreja Quadrangular em Belo Horizonte, Minas Gerais, entraram em um chiqueiro e gravaram um vídeo para a campanha “Sexta-Feira Forte da Guerra”, para combater o “espírito de humilhação”.

Para ilustrar o processo, os pastores entraram em um chiqueiro e afirmaram que alguns fiéis seriam como aqueles porcos: “Só fica de cabeça baixa, parece derrotada, esta na miséria, no meio do nada”.
Assista o vídeo abaixo:

Os pastores são da mesma denominação e estado de outros que ficaram famosos pela mesma forma de divulgar seus cultos. Em Governador Valadares outros dois pastores da Igreja Quadrangular gravavam vídeos ilustrando o tema de cada culto. Na ocasião eles entraram em lamaçal, em poços profundos, subiram montes com galões de água, entre outras coisas. Após a repercussão dos vídeos, todos eles foram apagados. O Gospel+ procurou a denominação para comentar o caso e até o fechamento da matéria não houve respostas.

O evento “Sexta-Feira Forte da Guerra”, da Quadrangular de Belo Horizonte, possui a mesma temática da “Segunda-Feira Forte da Potência de Deus”, da Quadrangular de Governador Valadares. Inclusive temas da denominação do interior de Minas Gerais também já foram utilizados pela da capital, como os pastores na lama e enterrando os problemas dos fiéis, como é possível ver abaixo:







Os Pastores de Belo Horizonte também tem seus próprios temas e unções. Em um dos vídeos eles afirmam ter subido no ponto mais alto da capital para consagrar o “óleo das boas novas” para ungir o aparelho celular dos fiéis e assim só receber notícias boas a partir de então. Assista:






A frente dos vídeos estão os pastores Paulinho Silveira e Jerônimo Nofre da Igreja Quadrangular – Templo dos Anjos que esteve junto a Igreja Quadrangular de Governador Valadares no evento “Labaredas de Fogo” que contou também com a presença, entre outros, dos pastores Jabes de Alencar e Silas Malafaia, além das cantoras Cassiane e Pamela.

Novo título do Apóstolo Estevem Hernandes causa polêmica na internet


Sexta dia 25 de março o apóstolo Estevam recebeu o título de cidadão recifense. O vereador André Ferreira, filho do controverso Bispo Manoel Ferreira, líder da Igreja Assembléia de Deus de Madureira, disse: “Imbuído de um profundo sentimento de solidariedade, o apóstolo Estevam tem ampliado os horizontes de ação do Ministério Renascer, atuando com experiência nas mais variadas áreas sociais do país, seja educando crianças carentes sem lar, de idosos que não tem família ou de dependentes químicos”

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

No discurso, realizado na câmara de vereadores, o apóstolo Estevam admitiu que não vem participando efetivamente de atos que trazem benefícios aos habitantes de Recife: “Nessa casa de leis eu quero deixar aqui registrado que embora não estando tão presente farei jus a homenagem, e no que puder participarei da sociedade recifense”

No twitter, um seguidor indagou Estevam acerca da homenagem: “Querido, parabéns pelo título de cidadão recifense. Agora minha pergunta: Qual o motivo para tal realização ocorrida?! Abs.” Estevam respondeu: “Muito trabalho de apoio aos necessitados, expresso de solidariedade, apoio aos dependentes químicos e muito evangelismo”, escreveu. Indignado, seguidor então respondeu ao líder: “Ah, que legal! Mas me me diga: Em todos esses atos benéficos, foi você que os realizou ou seus oficiais recifenses?” E completou: “Existem coisas que extrapolam os limites da cara de pau!”.

Folga

Devido às últimas viagens o Apóstolo Estevam Hernandes decidiu não liderar o culto de domingo a noite da Igreja Renascer. O fundador da denominação preferiu ficar em casa vendo o jogo do São Paulo, seu time do coração, contra o Corinthians, além de conversar com seus seguidores no twitter.

O culto foi celebrado pelo Bispo Leandro Miglioli Hernandes, que apesar de ter o mesmo sobrenome que o líder da Renascer, não tem qualquer parentesco com o mesmo. Conhecido como bispo Lê, o líder da Renascer regional Alphaville resolveu inserir em seu sobrenome o “Hernandes” como “prova de amor” ao Apóstolo Estevam.

Em 2007, no auge da repercussão da prisão de Estevam e Sônia Hernandes nos Estados Unidos por guardarem dólares em uma Bíblia e um porta CD para não pagarem imposto, alguns pastores, bispos e fiéis tatuaram a inscrição “Renascer até morrer” no corpo como prova de amor, já o Presbítero Junior foi mais além e tatuou o rosto dos líderes da denominação nas costas.

Rev. Caio Fábio afirma em entrevista para uma revista punk que perdeu a virgindade com 5 anos de idade


O Caio Fábio, famoso por ter se envolvido em um escândalo sexual com sua secretária, concedeu uma entrevista exclusiva a uma revista brasileira voltada ao público Punk. O conteúdo da entrevista é sobre sexo, onde o reverendo conta sua opinião e fala sobre o sexo na ótica evangélica.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Caio Fábio também afirma estar arrependido de seu primeiro livro sobre o tema, onde conta que com uma série de restrições na vida sexual conseguiu ter uma vida mais ligada ao espiritual. O líder do Ministério Caminho da Graça também diz ter perdido a virgindade quando tinha apenas 5 anos de idade, segundo ele sua primeira mulher foi uma babá de 13 anos.

Confira a entrevista na integra

Esta edição do Fanzine fala sobre sexo, então é inevitável fazer algumas perguntas. Qual a função do sexo? E qual o lugar que ele deve ocupar em nossas vidas, e que importância ele tem pra nós?

Sexo é a expressão da vida como prazer e sabor. É o ápice da capacidade de sentir, trocar e experimentar todos os sentidos em plenitude. Sexo é bem mais que as pessoas imaginam. É mais que a penetração e as trocas físicas. Pouca gente sabe o que é a experiência sexual em plenitude. A objetização do ato quase sempre impede a viagem ao êxtase e à plenitude do prazer. O mergulho nas águas profundas dessa experiência demanda mais do que corpo. Demanda alma e espírito desinibidos e livres.

Sem profunda intimidade e espiritualidade, nunca haverá êxtase no sexo., mas apenas, no máximo, orgasmo. O sexo mexe com a essência humana, por isso sua objetização nos dissolve e sua supressão nos achata.

Sexo é parte essencial da vida e do crescimento humano de qualquer pessoa saudável. As exceções existem. São os seres celibatários. Tais exceções, não tendo sido estabelecidas pela repressão, devem ser tratadas como vocações a serem respeitadas, desde que haja voluntariedade e espontaneidade.

O senhor foi um dos primeiros evangélicos a falar sobre sexo em seus livros, e com uma linguagem acessível e próxima dos jovens cristãos, e sem ser doutrinária. A igreja evangélica tem se mantido como uma instituição extremamente repressora e vem colhendo muitos frutos contrários aos esperados. Por que os líderes evangélicos (você também se encaixa nisso), não contam suas experiências, percalços e frustrações na adolescência e juventude, e contextualizam a função do sexo para os nossos dias, ao invés de recorrerem a correlações diretas com passagens bíblicas que diziam respeito a sociedade judaica de no mínimo 20 séculos atrás?

Meu primeiro livro sobre o tema foi infantil. Foi escrito aos 22 anos de idade e após o “trauma da conversão”. Como “antes” eu poderia ser incluído na categoria dos “dissolutos”—minha atividade sexual começou muito precocemente—, com a conversão fiz um movimento inconscientemente pendular. Fui para o pólo oposto. Então saiu um livro meu que eu não recomendo para ninguém, chamado “Abrindo o Jogo Sobre o Namoro”. Aquele é um livro que deve ser lido ao contrário: quase tudo o que digo que não pode é justamente aquilo que a “conversão” fizera supressão em mim. Assim, minhas “proibições pessoais” viraram cartilha. Em três anos no máximo eu estava querendo tirar o livro do “mercado”. Ele não condizia nem com a Bíblia e nem a condição humana. Depois disso, entretanto, fiz palestras que viraram livros, e que são infinitamente mais próximos do mundo real. Mas tudo foi um processo. Sexo é tema de neurose no ocidente, e na comunidade evangélica ele atinge o clímax de sua expressão como enfermidade.

Eu perdi a virgindade com cinco anos de idade. Minha babá de 13 anos fez o serviço. Daí eu ter crescido sem nunca dissociar a mim mesmo da experiência sexual. O que acontece aos meninos aí pelos 15 ou 16 anos já estava instalado em mim desde sempre. O mais está contado em meu livro “Confissões de um Pastor”. Não posso ser acusado de “falta de contextualização” na minha abordagem sobre sexo e sexualidade desde os 25 anos de idade. E, no meu site, o www.caiofabio.net, tais expressões de “contextualização” atingiram sua plenitude até aqui. Quanto aos “frutos” que a igreja evangélica está colhendo, só posso dizer que são coerentes com a lógica da doença que nela se instalou: quanto mais reprimido for o consciente, mais tarado e adoecido será o inconsciente. A igreja evangélica é o “ente social” sexualmente mais enfermo que eu conheço no Brasil.

Promiscuidade sexual, relações homossexuais, com animais, objetos, masturbação, enfim; até onde o uso do corpo é normal e sadio, e segundo o padrão de quem?

Sobre esses temas eu recomendo uma visita ao meu site, especialmente à seção de Cartas. Lá trato de tudo, e do mais aberto possível, respeitando os limites da mídia em questão, a Internet. Lá só não publico minhas respostas às questões mais cruentas, como é o caso, por exemplo, de pessoas com a fixação em relacionamento com animais. E também poupo as pessoas das respostas sobre os “fetiches” sexuais.

Os limites para o corpo estão estabelecidos não nele mesmo, mas na alma. O corpo aceita quase tudo. A alma não. Desde o Éden que a mente humana cogita a possibilidade de encontro com animais. Foi Adão quem percebeu a “impossibilidade” de que isso gerasse algo sadio, e também à sua própria altura—conforme o Gênesis, e antes mesmo da Queda.
É interessante que na narrativa bíblica da criação,a mulher vem como resultado do homem não ter encontrado um par que lhe servisse. E não encontrou, sobretudo, porque no sexo há mais que possibilidade de acoplagem de pedaços do corpo. Tem que haver encontro de seres, de almas, de imaterialidades. Violar esse valor trás dês-construção para qualquer alma humana. Pecado é escolher, conscientemente, a doença como modo de viver.

Mas quando mecanismos de “bestialidade”, por exemplo, se instalam numa pessoa, nada ajudará tal individuo a sair desse buraco se não for justamente o oposto dele; ou seja: a total dês-tensão, que é o que desmobiliza a compulsão, a tara. Tenho casos de pessoas que buscavam animais para ter relações sexuais—gente de igreja e líderes—, e que só ficaram livres da compulsão depois que foram ajudadas a ver que aquilo não era moral, era psicológico. E que o “pecado” não é contra Deus, é contra elas mesmas.

A noção de pecado só ajuda um ser humano em duas perspectivas: quando ele consegue enxergar aquilo contra ele mesmo e como doença; e, sobretudo, quando ele fica sabendo que pode ter paz para caminhar até entrar na Paz em relação à questão. Ou seja: quando você tira a Lei e apresenta a Graça à pessoa, e ela descansa. Ora, tal descanso não dilui o ser, mas ao contrario, o fortalece para tratar a si mesmo sem os rigores da condenação do inferno, que quando presentes drenam toda sua energia para a construção do que seja bom.

Só então o indivíduo caminha para a pacificação e para a saúde. Nunca a repressão fará uma alma melhor. Somente a consciência descansada promove essa elevação.

As campanhas falam para usarmos camisinha , para evitarmos as dst´s. Até onde essas campanhas seriam verdadeiras, e o que deveria ser feito sobre o assunto?

As campanhas são importantes. A “igreja” não fala do assunto porque parte de uma lógica farisaica. Ele entende que falar significa estimular. Então, a fim de manter o “moralismo” não ajuda a impedir males bem maiores, e que atentam contra a vida. É o tal do “coem o mosquito e engolem o camelo”, acerca do qual Jesus falou. Nosso mundo não é ideal. É apenas real. E enquanto a “igreja” não parar de falar de um mundo que não existe na terra, ela vai estar apenas sendo a mais terrível e desumana participante dos processos que trabalham contra a realidade e a vida. A omissão da “igreja”, sempre presa à sua própria imagem, é o pior ídolo que é cultuado dentro dela mesma. A “igreja” cultua a si mesma: sua imagem e sua própria arrogância como “representante” de Deus. Jesus é apenas o pretexto para o culto de si mesma e para o rigor ascético da “igreja”. Ele diz glorificar a Jesus, mas não se dá conta de Ele é um estranho para ela, e que se entrasse porta à dentro sem dizer que era Ele mesmo, seria expulso logo a seguir.

Muitos cristãos defendem a teoria de que todo casal deve gerar pelo menos um filho para multiplicação da descendência. Essa interpretação das Escrituras já não estaria ultrapassada para os nossos dias, principalmente pela superpovoação do planeta e pela condição sócio-econômica de muitos casais; sem falar na miséria? Não seria muito mais justo a adoção, já que a descendência hoje não implica ter o mesmo sangue?

Ora, essa é uma idiotice “católica”. Nesse sentido os “evangélicos” são menos neuróticos. Pessoalmente esta sempre foi a minha tese. Gênesis 2: 24-25 nos diz que homem e mulher deixam pai e mãe, se unem, e tornam-se uma só carne. Isto é casamento. O “crescei e multiplicai” foi falado numa terra onde não havia humanos. Nos dias de hoje seria: “Gerai responsavelmente, e adotai generosamente”. Eu tenho uma filha adotada. E sei que não existe diferença. O sangue é menos que um detalhe.

O senhor teve um caso extraconjugal que lhe rendeu a exclusão do rol dos grandes líderes evangélicos. Eles não mereciam você e escolheram você como um bode expiatório, ou você se entregou para o sacrifício?

Eu não tive um caso extraconjugal. Tive um relacionamento conjugal. Meu “casamento formal”, aos 19 anos, foi muito mais um caso “extra-conjugal” que o “acontecido”, e que “escandalizou” a tantos. Veja como uma coisa é a “aparência” e outra é a “verdade do coração”. Quanto ao “bode” ou ao “cordeiro”—qualquer deles vão para o “sacrifício”. Creio que fui um pouco de ambos.

De um lado o “bode” carregou a projeção das doenças e sombras de uma comunidade que fala de luz, mas prefere as trevas; fala de verdade, mas prefere a mentira; fala, mas vive de “imagem”.

De outro lado, houve a opção de não deixar a minha vida presa ao circo das imagens, ao presépio das falsidades e das farsas. Ninguém me flagrou fazendo nada. Eu contei. E, pela misericórdia de Deus, sobrevivi até aqui às conseqüências. Mas não há nenhuma “messianidade” no meu ato. O fiz por mim mesmo. Não pedia a Deus que aquele fosse um ato “vicário”, e nem tampouco o fiz num acesso de altruísmo, visando abrir caminho para milhões que vivem no jugo da mentira. O que vem acontecendo depois, com milhares e milhares de pessoas me procurando para “abrirem” o coração, é pura continuidade da Graça de Deus. Mas não foi premeditado por mim. Quanto ao “rol dos grandes lideres”, nunca estive lá por conta própria. Fui e sou um caso de tirania da Graça de Deus. Passei a vida falando as coisas que aqui digo, e quanto mais as digo, as faço e as falo, mas sou ouvido. Até os meus “inimigos” sabem que o que estou dizendo corresponde à realidade. Eles não gostam apenas porque fazem parte dessa “coisa”, não porque possam contestá-la, ou dizer que estou exagerando.

Depois de ter seu nome envolvido num escândalo político que denegriu sua imagem, qual a lição que você tirou de tudo isso? E o que você diria pra quem está começando um trabalho social hoje e se vê obrigado a lidar com burocracia e política?

Nunca confie em nenhum político. Nem nos melhores. E, especialmente, nos mais ideológicos. Esses são os que mais cultuam as suas próprias imagens, e o deus deles pode se camuflar com as roupagens da “ética”; mas, ainda assim, não passa de culto à imagem. Nesse caso sim, mesmo reconhecendo que um homem com minha consciência não poderia ter si permitido ir até onde me foi insistentemente solicitado, sei que a responsabilidade pelo “desfecho” foi de “alguns amigos”, políticos, e que me atormentaram durante meses insistindo em que eu “apurasse” para eles a história. No final fiquei sozinho, e tenho poupado o nome deles até hoje. E por que? Porque aprendi que antes de ser cristão o sujeito tem que aprender a ser homem, e também que cada um faça na vida as suas próprias retratações. As minhas estão feitas. As deles, Deus sabe, ainda estão todas por serem feitas.

Pastor preso em motel com adolescente de 13 anos diz a justiça que só Deus pode julga-lo: “Vocês não são nada”


A Polícia do Pará prendeu um pastor que tentou violentar uma jovem de 13 anos na cidade de Itaituba, na região sudoeste do Pará nesta sexta-feira (25). De acordo com informações da Polícia Civil, no dia seguinte (26), ele foi transferido para o Centro de Recuperação Regional de Itaituba, onde seguia até este domingo (27).

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O pastor, que negou as acusações, foi preso em flagrante em um motel com a adolescente, próximo ao centro da cidade. Representantes do Ministério Público, do Conselho Tutelar e da Comissão de Infância e Juventude estavam realizando uma blitz de rotina no motel quando o viram chegando. A adolescente disse à polícia que não imaginava que seria levada ao local. Após o flagrante, a equipe do Ministério Público também prendeu uma mulher suspeita de aliciar a menor.

“Esse cidadão e a própria vítima admitiram que estavam em um grupo de meninas de 12, 13 anos na orla da cidade, quando ele chegou de moto, conversou com a aliciadora, e ela perguntou a ele qual menina, se ele queria uma menina, e fez a intermediação”, disse o promotor Maurin Virgulino.

A mulher citada nega as acusações. “Eu falei para ela voltar, mas ela não deu nem atenção”, disse. O pastor deverá responder por tentativa de estupro de vulnerável.

“Meu amigo, quem julga a minha causa é Deus, você não é nada”, disse o acusado.

Mesmo com provas de sua inocência, evangélico continua preso injustamente em São Paulo


Vestido todo de branco, Wagner Lopes de Oliveira foi batizado há nove anos nas águas de uma piscina da Assembleia de Deus, de onde saiu praticante fiel. Seis anos depois, quando o sogro sofreu um derrame, foi ele quem se ofereceu para dar comida e trocar as fraldas do doente até que morresse. Há dois anos, foi a vez do pai. Para ajudar nos cuidados do derrame, voltou a morar com a mãe, levando a mulher e a filha de 3 anos.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O trabalhador admirado pelo patrão, respeitado pelos vizinhos em Cocaia do Alto, bairro onde mora na cidade de Cotia, em São Paulo, sete anos atuando como soldador na mesma empresa, 29 anos e nenhuma passagem pela polícia, foi parado em uma blitz no Natal do ano passado. Desprevenido, ingressava na primeira etapa do processo industrial paulista de colocar gente na prisão.

Atualmente, há 170.916 presos no sistema penitenciário estadual. Considerando os familiares dos detentos, pode-se dizer que mais de 1 milhão em São Paulo gravitam em torno da rotina penitenciária. Se ninguém duvida da importância das prisões, que segundo analistas ajudam a explicar a queda nos índices criminais do Estado, o problema ocorre quando se perde o controle dos efeitos colaterais produzidos pelo sistema, resultados de um processo cheio de defeitos e com grande potencial para injustiças.

Preso há três meses, acusado de tráfico, com perspectivas de continuar o restante do ano no Centro de Detenção Provisória de Itapecerica da Serra, Wagner foi parar atrás das grades a partir de um único depoimento que o incrimina. No Natal, depois de participar de um churrasco na casa da irmã, ele se ofereceu para dar carona a quatro amigos. Deixou dois em casa e parou na praça do bairro. Três meninas – uma delas havia sido inquilina na casa dos fundos da família – pediram carona. Iam para uma festa. No caminho, foram parados em uma blitze da Polícia Militar.

Uma das meninas tinha 17 pedras de crack e 5,8 gramas de cocaína na bolsa. Na delegacia, manteve-se calada. A filha da antiga inquilina da família afirmou que Wagner é que era o fornecedor. A outra disse que o traficante era o Bola. Foi o suficiente para que se decretasse a prisão em flagrante. “Não cruzaram ligações para saber se havia telefonemas das acusadas para o Wagner. Não foram investigar a existência do tal de Bola. Não houve nenhum tipo de investigação e mesmo assim ele permanece preso”, diz o advogado Thiago Gomes Anastácio, que atua no caso pelo Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD).

A irmã de Wagner, Jaqueline Aparecida de Oliveira, desesperada com as condições do caçula de nove irmãos, foi conversar com a menina que acusou Wagner, antiga conhecida da família. Ela e a mãe choraram e pediram desculpas pelas mentiras, disseram que foram ameaçadas, em conversa gravada, a qual o Estado teve acesso. “Eu precisava provar que ele era inocente e por isso gravei. Tenho pena delas. E realmente não entendo como ainda não conseguimos tirá-lo da cadeia”, diz Jaqueline.

O pai, doente, sabendo da prisão de Wagner, morreu. Além de Wagner não ter ido ao enterro, a família ainda não teve coragem de contar a ele sobre o ocorrido, na cela em que divide hoje com 42 presos.

Se fosse condenado, como é primário, trabalhava e não participava de quadrilha, provavelmente Wagner ficaria menos de dois anos na prisão. Pena que poderia cumprir em liberdade, depois de meses encarcerado.

Lei de Drogas. Ex-secretário Nacional de Justiça, Pedro Abramovay, professor da Fundação Getúlio Vargas no Rio, afirma que a nova Lei de Drogas, de agosto de 2006, tem contribuído para o rápido crescimento da população carcerária nacional. Em estudo ainda inédito, feito com Carolina Dzimidas Haber, da Universidade Federal do Rio (UFRJ), Abramovay aponta o rápido crescimento da quantidade de traficantes presos.

Entre 2007 e 2010, houve um aumento no Brasil da população carcerária de 73.661 pessoas – o que demandaria a construção de um presídio de 500 lugares por semana. Desse total, 40.997 foram acusados de tráfico. A prisão por roubo, crime que mais preocupa por ser violento, diminuiu 3% no mesmo período. “A nova Lei de Drogas, em tese, acabou com a prisão para o usuário. Mas, como não estabelece a diferença entre usuários e traficantes, na prática, estamos vendo um aumento no rigor e na detenção daqueles que são pegos com pequenas quantidades. Quem acaba definindo a diferença são os próprios policiais”, diz.

Grande parte dos que são presos é de pequenos traficantes. Em pesquisa encomendada pelo Ministério da Justiça, os dados mostram que, entre 2006 e 2008, 66% dos que foram presos acusados de tráfico no Brasil eram primários e 86% não estavam com armas; 50% das sentenças envolviam quantidades de maconha de até 104 gramas, total que muitos consumidores paulistanos estocam para fumar por poucos meses. “O governo tem uma política clara de combate às drogas. Trata com rigor ainda maior de pena traficantes que pertencem ao crime organizado. Mas o governo tem todo um conjunto de políticas de prevenção e de tratamento de drogados que não podem ser ignoradas. Repressão e prevenção nem sempre são antagônicas”, disse ao Estado o ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo.

Na falta de competência para fazer investigações, a pobreza reforça as suspeitas das autoridades para determinar a prisão. No dia 20 de janeiro, Rose Meire Rodrigues de Souza, de 20 anos, mãe de uma criança de 5, foi chamada por amigos para ir à delegacia da comunidade onde mora, na zona leste de São Paulo, para levar os documentos do primo que, cinco horas antes, havia sido preso em um assalto. Na delegacia, foi reconhecida pela vítima, que afirmou ser ela a responsável por dar cobertura aos criminosos. Foi para a Penitenciária Feminina de Sant”Ana, onde está até hoje. “Como ela pode ter assaltado se precisou limpar a casa e tirar os móveis por causa da enchente que inundou tudo aqui naquele dia?”, questiona a mãe, Francisca Rodrigues da Silva. “Se ela tivesse participado, o que iria fazer na delegacia?” Perguntas que, mesmo sem respostas, mantêm a Justiça convicta da necessidade de manter Rose Meire presa indefinidamente.

sábado, 26 de março de 2011

Famosos pastores discutem na mídia se Deus causou o terremoto no Japão


Será que Deus causou o terremoto no Japão?

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O reformado teólogo John Piper diz que sim. Mas o pastor da Igreja emergente Brian McLaren não está satisfeito com a resposta simples, especialmente porque isso retrata Deus como insensível ou inapto.

McLaren, que não é fã de teologia em preto e branco, emitiu uma resposta na quarta-feira para o post no blog de Piper de 11 de março, sobre o terremoto e o tsunami que matou pelo menos 9.000 pessoas.

Em geral, a McLaren diz que se a sua “única opção para a fé cristã me pedisse para estar satisfeito com as explicações dadas pela Piper, eu estaria expulso,” escreveu ele em um comentário que apareceu no The Other Journal.

Piper, um dos pastores evangélicos mais influentes no país, compartilhou seus pensamentos sobre a devastação do Japão e da questão do sofrimento no mundo, em seu blog na semana passada. Ele observou que, depois de empatia e da ajuda humanitária, o que as pessoas querem são respostas.

E na visão de McLaren, Piper, proveu isso – uma “teodicéia limpa e clara,” ou uma defesa da bondade e da onipotência de Deus em meio à existência do mal e do sofrimento.

“Piper fornece exatamente o que ele acredita que é pedido – resposta: clara, direta e livre de nuance.”

Piper escreveu em seu blog: “Nenhum terremoto na Bíblia é atribuído a Satanás … Terremotos provêm, em última análise de Deus. A natureza não tem vontade própria e Deus não dá a Satanás liberdade. A destruição que os demônios causam, eles causam…. com a permissão de Deus. E Deus tem razões para que Ele permita. Suas permissões são propósitos.”

Nós não sabemos todos (“centenas de milhares”) os propósitos para a calamidade no Japão e não saberemos até o final da era, diz Piper. Mas há possíveis propósitos revelados na Bíblia. Piper lista:

• “Os terremotos do fim dos tempos” são entendidos como as chamadas para os incrédulos ao arrependimento e como uma chamada de despertar ao mundo que Jesus Cristo está vindo e o reino de Deus vai nascer;
• “A tomada unilateral de Deus de milhares de vidas é uma declaração forte de que ‘O Senhor deu e o Senhor o tomou” (Jó 1:21)”- em outras palavras, a vida é um empréstimo de Deus;
• O poderoso terremoto revela a “magnificência temerosa de Deus” – “a maior parte do mundo não teme ao Senhor e, portanto, carece de sabedoria;”
• Quando a terra treme, há um sentimento de que não há lugar para fugir. Para onde é que você se volta? Para Deus.
Para aqueles que buscam “respostas fáceis” e que “de certo pendor teológico,” McLaren não tem dúvidas de que o que Piper apresentou irá satisfazê-los.

Mas McLaren não concorda com tal simplicidade, especialmente quando se trata da questão do mal e do sofrimento.

“Dr. Piper habita um universo religioso em que deve ser profundamente gratificante responder às catástrofes da maneira como ele tem feito, porque ele tem feito isso em várias ocasiões,” escreveu ele. “Duvido que ele, ou muitos como ele, mudem de rumo, porque este tipo de explicação, para eles, é a fidelidade – a sua maneira de ler a Bíblia, para a sua compreensão de Deus, a sua tradição de calvinismo estrito. Propor outra maneira de pensar sobre as questões deve parecer propor a infidelidade.”

McLaren, que foi o autor recentemente de Naked Spirituality: A Life with God in Twelve Simple Words (Espiritualidade Nua: uma Vida com Deus em 12 Palavras Simples), acredita que mesmo as melhores respostas para o problema da dor são “muito insatisfatórias.”

“Elas trabalham melhor em sala de aula do que em um quarto de hospital, debaixo de uma pilha de escombros do terremoto, ou na cena do crime,” escreveu ele em seu livro. “Elas fornecem apenas conforto para uma pessoa em agonia, e, muitas vezes, enquanto elas resolvem um dilema intelectual, elas criam 22 mais.”

Muitas vezes rotulado como controverso e anti-bíblico, McLaren tem estado mais interessado em conversas sobre questões da vida e questões teológicas que em respostas.

Enquanto ele continua a fazer perguntas como um Cristão, ele reconhece que essas perguntas são respondidas em grande parte para a maioria dos cristãos evangélicos.

“Se alguém perguntar: ‘Qual é a relação de Deus com o universo?” a única resposta de Piper e seus colegas seria ‘Soberania,’ e soberania significaria o controle absoluto unilateral,” ressalta.

“Isso, penso eu, não é a única opção para um crente fiel em Deus.”

McLaren argumenta que “é melhor dizer” que a soberania de Deus não é totalitária.

“Deus não é o tipo de rei interessado ​​no controle absoluto. Deus não iria criar esse tipo de relação com o universo, porque Deus não é esse tipo de Deus,” afirma ele. “Em vez disso, Deus cria espaço e tempo para um universo ser, tornar-se, a desdobrar-se em sua própria história, sua própria evolução. O reinado de Deus é compromisso absoluto de estar conosco, aconteça o que acontecer, sempre trabalhando para trazer o bem do mal, a cura do sofrimento, a reconciliação do conflito, e a esperança do desespero.”

“O reino ou soberania de Deus que Jesus proclama … não vem com o poder de controle unilateral, mas com uma forma radicalmente diferente de energia: O poder suave (Paulo ousa chamá-lo de” fraqueza “) do amor.”

O Deus que McLaren vê fotografada em Jesus é um homem com coragem e bondade, que lava os pés dos seus súditos, e cujo poder se revela não matando e conquistando, mas pelo sofrimento e pela morte e ressurreição.

“Eu acho que é justo sugerir que o Dr. Piper vê o sofrimento de Jesus na cruz sob a mesma luz que ele vê o sofrimento dos japoneses, na esteira de sua catástrofe tripla: Deus causou esse sofrimento e por isso devemos aceitá-lo como vontade Deus e confiança de que Deus tinha um bom motivo para optar por fazê-lo desta maneira,” observa McLaren.

“Como o Dr. Piper, eu vejo uma certa semelhança entre Cristo na cruz e as pessoas que sofrem no Japão. Mas não é que Deus está tomando as vidas de forma unilateral, em ambos os casos: é que Deus, encarnado em Jesus, está presente no sofrimento e no mal da vida, sentindo a nossa dor, chorando conosco em solidariedade, partilhando nossas perdas e levando nossas cicatrizes, movendo-se com e em nós para fornecer empatia e ajuda e muito, muito mais. Isso não é uma resposta no sentido de uma explicação, eu suponho, mas é algo precioso: ele é o reino que não pode ser abalado.”

Com milhares ainda desaparecidos na sequência do terramoto no Japão e a crise nuclear do país ainda não resolvida, tanto os pastores estão chamando para a ação e amor da parte dos Cristãos.

Piper está pedindo aos Cristãos para ajudar a prover alívio ao sofrimento no Japão e para estender a empatia e ajuda humanitária a todos, incluindo os inimigos.

Ele também está chamando os fiéis a ajudar a proporcionar alívio para o sofrimento eterno, incentivando-os a “dar um passo adiante com amor, extraordinário sacrifício para mostrar mais claramente a misericórdia de Cristo que deu a sua vida no meio do julgamento do pai. O sofrimento e a morte de Jesus Cristo para com o pecado do mundo é aquele lugar onde a empatia, ajuda, e as respostas se encontram. Ele convida a todos para vir para os três.”

Na Nicarágua, mulher líder da Igreja Assembléia de Deus nacional pode se tornar vice-presidente

O Grupo de Liderança Evangélica, conhecido como “neoevangélicos”, aninhou-se no Partido da Aliança pela República (Apre) e emplacou a candidatura da líder da Assembléia de Deus, Elizabeth Dávila, para a vice-presidência da República.Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

A Aliança formalizou sua chapa no dia 18 de março, que apresentou a Miguel Ángel García, ex-ministro da Educação no governo Enrique Bolaños, como aspirante à presidência da República. A campanha dele tem por slogan “Treme Daniel (Ortega) porque chegou Miguel”.

Dávila disse que resolveu aceitar a oferta do Apre porque estavam difíceis as negociações com o Partido da Aliança Liberal Nicaraguense.

Também o pastor pentecostal Miguel Ángel Casco decidiu deixar o Partido Liberal Constitucionalista (PLC), em protesto pela suspensão das eleições primárias, em que ele aparecia como candidato à Assembléia Legislativa pelo departamento de Manágua, e ingressou no Partido Liberal Independente (PLI). Casco é ex-militante sandinista.

Pastor Silas Malafaia pode ser indiciado por homofobia por ter comparado homossexualidade com sexo com mortos e animais. Assista


Um inquérito foi aberto contra o Pastor Silas Malafaia por suas afirmações em uma audiência pública em 2010, a investigação está sendo realizada pela procuradoria da república. Na ocasião o líder da Igreja Vitória em Cristo comparou a opção sexual homossexual com necrofilia (sexo com pessoas mortas) e zoofilia (sexo com animais).

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

A Procuradora da República Ana Carolina Araújo Roman comanda as investigações baseadas em um debate público sobre o Estatuto da Família realizado na Câmara dos Deputados em Brasília. O Pastor Silas ficou encarregado de defender os valores tradicionais e conservadores como o casamento apenas entre homem e mulher.

Inflamado, o Pastor afirmou que se fosse para legalizar o casamento gay, que se legalizasse também a necrofilia e zoofilia, pois também seria opções sexuais dos brasileiros.

Vamos liberar tudo que tem na sociedade. Vamos colocar na lei tudo que se imaginar. Quem tem relação com cachorro, vamos botar na lei, porque tem gente que gosta de ter relação com cachorro. Eu vou apelar aqui, mas tem que dizer, é um comportamento, ué. Vamos aceitar?

Quem tem relação com cadáver? É um comportamento, vou botar na lei. Ah, se é um comportamento, ué, estão espantados, vão discriminar, ué? É a favor de quê? Então vamos colocar tudo na lei e onde é que vai parar a sociedade brasileira?

A investigação foi iniciada ainda em 2010, mas só em fevereiro de 2011 foi convertida em inquérito contra o Pastor Silas Malafaia. Não é a primeira vez que a justiça tenta intervir nas palavras do Pastor, em 2007 o programa evangelístico de TV Vitória em Cristo, comandado pelo próprio Silas, quase foi proibido de ir ao ar antes das 20 horas devido a linguagem e forma como o Malafaia atacava a comunidade gay e defendia a comunidade cristã.

Vídeo: Pastor Silas Malafaia comparando homossexualismo a necrofilia e zoofilia em audiência pública


Mulher diz que bebê foi curado de cinco tumores no coração após colocar toalhinha de Valdemiro Santiago em sua barriga


Ainda no colo da mãe, a pequena Eloísa, de seis meses, seria o símbolo de um milagre. “Minha filha foi curada de cinco tumores na aorta, uma das principais veias do coração”, conta emocionada a mãe, Lucélia Mello Silva, de 21 anos. “Eu ainda estava grávida de seis meses quando o médico descobriu que Eloísa tinha esses tumores. O médico, quando descobriu no pré-natal, me disse que minha filha morreria, que era um aborto ou uma criança natimorta”.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Segundo ela o médico “relutou que eu continuasse com o trabalho de parto, dizendo que eu poderia morrer com minha filha e que mesmo que fosse bem-sucedido no parto e ela viesse a nascer, seria um vegetal e viveria somente até os dezessete anos, sofrendo com diversas sequelas de saúde. Fiquei desesperada, não soube o que fazer, até que minha sogra me contou da Igreja Mundial do Poder de Deus”, afirma.

A sogra de Lucélia, Sandra dos Santos Alves Sá, diz que havia encontrado solução ao impossível através da Igreja Mundial do Poder de Deus. “Meu irmão foi curado através deste ministério de uma doença grave. Na época, uma conhecida me convidou para vir até o Templo dos Milagres e Deus o curou”, e completa: “Dali em diante, eu continuo na casa de Deus até hoje. Quando soube do problema de saúde do feto de minha nora, a chamei para vir comigo, peguei uma toalhinha Sê Tu Uma Benção e colocamos juntas sobre a barriga dela, clamamos a Deus e dei muita água ungida a Lucélia”.

“Eu toquei na toalhinha e clamei para que o Deus do Apóstolo Valdemiro Santiago a curasse e, se Ele o fizesse, viria com Eloísa para apresenta-la quando ela completasse seis meses de vida”, explica Lucélia. “Deus a curou, os tumores foram para o inferno em nome de Jesus. Eloísa é saudável, perfeita, nasceu normal e não precisou de nenhum tipo de tratamento ou equipamento e aqui estou para honrar e glorificar a Deus, com minha filha, que é perfeita”, afirma.

Polêmica: Pastor vive como muçulmano por 40 dias para compreender a crença. Congregação ameaça expulsa-lo

O pastor episcopal anglicano Steve Lawler, da Igreja Saint Stephen, optou por observar a Quaresma de uma maneira incomum. Ele decidiu adotar os rituais do Islã por 40 dias, segundo ele, “para obter uma compreensão mais profunda dessa fé”.Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Porém, alguns de seus superiores sentiram-se desconfortáveis e ameaçaram demiti-lo se continuasse com essa experiência. ”Ele não pode ser cristão e muçulmano ao mesmo tempo”, explicou o bispo George Wayne Smith, da diocese episcopal do Missouri. ”Se ele optar pelas práticas dos muçulmanos, estará desistindo de sua identidade cristã e sacerdotal na igreja.”

Lawler, que trabalha em tempo parcial na igreja, não previa esse tipo de problema quando tomou essa decisão. Disse que apenas queria saber mais sobre o Islã, especialmente depois de acompanhar a discussão nacional nos Estados Unidos sobre a radicalização da fé.

Na Quarta-feira de Cinzas, primeiro dia da Quaresma, ele começou a prática do salah cinco vezes por dia, ajoelhando-se em direção a Meca e orando a Alá. Também passou a estudar o Alcorão e adotou os costumes alimentares islâmicos, abstendo-se de carne de porco e de bebidas alcoólicas.

Durante a Semana Santa, ele planejava jejuar do amanhecer ao pôr do sol, como os muçulmanos fazem durante o período do Ramadã. Mas aos olhos do bispo Smith, a tentativa de “imitar” outra religião pode ser vista como algo desrespeitoso. Ele explica: “Uma das formas [de Lawler] continuar sendo um líder cristão é vivenciar o cristianismo e fazê-lo com clareza, não de uma maneira tão confusa”.

Quando perguntado se puniria Lawler se ele continuasse com os rituais, Smith respondeu que sim. E mais, seria obrigado a tirá-lo do cargo.

No entanto, Lawler disse que não tinha intenção de declarar a sua crença na unicidade divina e aceitar Maomé como profeta de Deus. Este é o primeiro dos cinco pilares do Islã, que marca a conversão de alguém ao islamismo.

Os problemas de Lawler, que também é professor adjunto na Universidade de Washington, começaram quando ele publicou um comunicado à imprensa explicando como passaria a Quaresma.

Isso chamou atenção de um repórter que decidiu entrevistá-lo. O pastor acabou explicando que não via nenhum problema em conciliar sua visão episcopal com as do Islã. Explicou também que esperava testar um conceito atribuído a Mahatma Gandhi e abordado por John Dunne em “The Way of All the Earth” [O Caminho de toda a terra]. Segundo o livro, “envolver-se com outra cultura ou religião gera em nós uma nova visão sobre nossa própria cultura ou religião”.

“Poderia apenas sentar e ler material acadêmico sobre o Islã, mas continuaria um passo atrás, por isso decidi ter um encontro pessoal com o islamismo”, disse o pastor Lawler, no escritório da igreja onde está há oito anos. Ele ajudou a criar um programa comunitário nessa paróquia, que inclui dança, aulas de música, debates teológicos, projetos de melhorias para o bairro e um mercado dos fazendeiros. Ele batizou o programa “A Vinha”, porque continua crescendo e tomando rumos novos e surpreendentes. Foi desse modo que ele viu sua aproximação ao Islã.

Nascido e criado em uma família católica, Lawler tornou-se episcopal com pouco mais de 20 anos de idade porque não compartilhava dos pontos de vista conservadores do Vaticano.

“A Igreja Episcopal é bastante aberta”, disse ele. Teria sido bem mais difícil [fazer os rituais islâmicos], “se eu fosse o pastor de uma igreja muito conservadora”. Porém, dois dias depois de iniciar sua “imersão cultural”, Lawler descobriu que a Igreja Episcopal é mais rígida do que ele pensava. Após ouvir a reprimenda do bispo, Lawler desistiu de fazer os rituais islâmicos.

“Gostaria que ele entrasse em contato comigo antes de tomar uma decisão sobre isso”, disse Smith. ”Eu teria lhe dito para não fazer isso. Acredito que ele está tentando mesmo aprofundar a sua compreensão do Islã, e isso é admirável. Mas assim você desonra a outra fé, pois está só fingindo. Você precisa construir pontes, ter um relacionamento real com nossos vizinhos muçulmanos.”

Mohammed Ibrahim, presidente do conselho da Fundação Islâmica de Saint Louis, diz não se ofender por Lawler praticar os rituais islâmicos. ”Acho que essa é uma boa ideia para alguém compreender melhor o que é o Islã. Nós o aplaudimos. As pessoas podem vir e nos observar fazer as orações nas mesquitas e até participar da oração, se quiserem”, explica.

Ibrahim acrescenta que os cristãos poderão se surpreender com algumas semelhanças entre as duas religiões. ”Como a história da Virgem Maria e de Jesus Cristo”, disse ele. ”No Alcorão, há um capítulo inteiro sobre a Virgem Maria.”

Lawler disse que não ficou decepcionado com a reação da Igreja Episcopal. ”É um diálogo. Não me sinto excluído ou censurado. Entendo as preocupações do bispo Smith sobre o que isto significa”, conforma-se.

Depois de tudo resolvido, o pastor decidiu realizar uma série de debates públicos informais em sua igreja, que incluirá um muçulmano, um ateu, uma pessoa “espiritual mas não religiosa” e alguém que “vive uma vida plena e moral, mas sem nenhum fundamento espiritual ou religioso”. Esses encontros começaram esta semana e devem durar até a Páscoa, que marca o final da Quaresma.

Igreja Assembléia de Deus fará homenagem a Governador durante evento sobre evangelização


O governador Simão Jatene será homenageado na próxima reunião do Serviço de Evangelização das regiões do Tocantins e Araguaia (Seta) da Igreja Assembleia de Deus.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O encontro vai acontecer entre os dias 7 a 10 de julho, no município de Santana do Araguaia, e deve reunir cerca de 20 mil fiéis da área de abrangência do rio Araguaia.

Jatene terá seu nome inscrito na placa de comemoração do centenário desta igreja evangélica e receberá a comenda de “Amigo da Assembleia de Deus”. “O povo evangélico agradece as ações do governo passado de Simão Jatene e espera que este governo se consolide ainda mais”, disse o pastor Pedro Ferreira Filho, coordenador do Seta.

O pastor esteve na manhã desta quinta-feira, 25, reunido com outras lideranças evangélicas para fazer pessoalmente o convite ao governador. Ele veio acompanhado do deputado Zequinha Marinho (PSC), que é da região do rio Araguaia. “As lideranças apoiaram o governador nas eleições e querem também cumprimentá-lo pela posse’, explicou o deputado.

De acordo com o pastor Pedro Filho, a Assembleia de Deus tem cerca de 45 mil fiéis na região sul/sudeste do estado, entre membros e congregados. A Assembleia de Deus é uma das maiores igreja do ramo pentecostal do Brasil e do mundo. Ela chegou aqui através dos missionários suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg, que aportaram em Belém, em 19 de novembro de 1910, vindos dos Estados Unidos.

Pastores caídos: Lobos em pele de cordeio se envolvem com armas, pedofilia, estupro de criança e Deus


Jesus já dizia desde seu tempo na Terra que nem todos que dissessem “Senhor, Senhor” herdaria o reino dos céus, isso pode ser interpretado a atitude de muitos pastores caídos. Muitos líderes e pastores que deveriam servir de exemplo e ajuda aos irmãos acabam se deixando levar pela tentação e aproveitando de seu status na sociedade, aproveitam da boa-fé das pessoas.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Abaixo você confere apenas duas notícias recentes que o Gospel+ separou sobre pastores suspeitos de crimes chocantes:

A Polícia Civil de Tarauacá (Acre) encontrou na casa do pastor José Elias Galvão armas, munição e fotos de pedofilia.

O mandado de busca e apreensão na casa do pastor foi determinado pela Justiça a pedido do MPE (Ministério Público Estadual). Galvão, que é policial civil aposentado, desapareceu e foi declarado foragido.

Tarauacá tem cerca de 35 mil habitantes e fica a 381 km de Rio Branco, a capital do Estado.

O MPE pediu que o pastor fosse investigado porque recebeu denúncia de que ele estaria usando a igreja protestante local para abusar de crianças.

Estupro e pedofilia

A Polícia recebeu uma denúncia de uma mãe de uma criança, que teria sofrido estupro praticado por um pastor, em Rondonópolis. Ela contou aos polícias que a esposa do suspeito é babá da criança, e que deixou a filha na casa deles localizada na Avenida das Andorinhas no Jardim das Paineiras, ás 06h40 e retornou ás 16h30.

Já em casa, a criança queixava de dores na parte íntima, a mãe percebeu que aquela região estava muito avermelhada. Ao perguntar a criança do motivo das dores, a menor em sua inocência afirmou que foi o “Tio”, o “Tio que corta as unhas”. A criança não soube especificar o que de fato aconteceu, só apontava para suas partes íntimas e falava que foi o “Tio”.

A menor passou por um exame, que apontou que na região genital estava diferente para uma criança de três anos. A menina possivelmente foi acariciada com os dedos do infrator. O suspeito não foi localizado pelos Policiais para prestar esclarecimento.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Nova abertura do programa CQC teria mensagens subliminares e vários símbolos maçônicos. Assista e compare

A nova abertura do humorístico da Band Custe o Que Custar (CQC) teria símbolos da maçonaria e mensagens subliminares escondidas na edição do vídeo, chamando mais atenção para a polêmica do que para a estreia do novo design gráfico.

Segundo o site Os Paparazzi e o fórum Anti Nova Ordem Mundial seria possível notar durante a abertura o “Olho que Tudo Vê”, um dos principais símbolos maçônicos representado por uma pirâmide e um olho, significando a onipresença de Deus. No programa do dia 14 de Março também são encontrados diversas imagens durante a edição.

Para os sites de catástrofes e teorias da conspiração, o vídeo tem muito mais mensagens subliminares e diretas sendo exibidas ao público, como um delta luminoso, um cenário em forma de templo, colunas e um Pavimento de Mosaico. A discussão é grande e muitas supostas mensagens ainda não teriam sido reparadas e codificadas pelos entusiastas e estudiosos no assunto, mas teriam sido encontrados também símbolos da maçonaria durante os cortes das edições do programa.

Outro lado

A Band confirmou a existência de tais símbolos na abertura do CQC, mas afirmou ser apenas uma brincadeira. “As vinhetas e abertura do programa são inspiradas no trabalho de um diretor de vídeo clipes! É tudo uma questão de estética. Garanto a vocês que nenhuma pessoa da equipe de criação da produtora, aqui e na Argentina tem a ver com a Maçonaria ou os Iluminatis”. Segundo Marcos de Assis, da equipe do humorístico, a maioria dos que trabalham no programa não possuem religião.

Abertura do CQC tem mensagens subliminares e imagens da maçonaria?

Original




Versão editada mostrando algumas das polêmicas




Nos cortes das edições do programa




Para alguns fãs do CQC, as imagens seriam apenas uma brincadeira ou uma ação de marketing para gerar divulgação e discussão para o programa.

Em vídeo polêmico, criança é batizada por imersão em lago semicongelado na Sibéria e causa revolta

Quando surgiu na internet um vídeo amador de um menino nu, aos berros, sendo mergulhado por um padre em um lago semicongelado na Sibéria, a reação foi de indignação na imprensa e na blogosfera russas.

O garoto aparentava ter no máximo cinco ou seis anos.

Primeiro, ele é visto sendo envolto em um cobertor, já chorando, enquanto adultos em casacos de pele o carregam em direção a um buraco cortado no gelo de um congelado.

Tirado o cobertor, o menino é imerso três vezes na água – obviamente contra a sua vontade -, enquanto um padre ortodoxo conduz uma cerimônia de batismo.

“Onde isso aconteceu? Quem é o padre? Quem são os pais?”, escreveu um blogueiro, que se disse determinado a obter mais informações sobre o “sádico” incidente e torná-las públicas.

Acredita-se que a cerimônia tenha ocorrido em local próximo à cidade siberiana de Irkutsk, em 19 de janeiro, no festival ortodoxo russo chamado Epifania, comemorando o batismo de Jesus Cristo.

Religião

A religião era mal-vista durante a era soviética, mas, desde a queda do comunismo, retornou com força na Rússia. Atualmente não faltam pessoas dispostas a jejuar na quaresma, a comemorar a Páscoa com comida tradicional, a casar-se na igreja e a passar por cerimônias de batismo em água benta.

E, como a Igreja Ortodoxa Russa acredita que Jesus Cristo foi batizado em janeiro, muitos creem que mergulhar nu em água gelada é uma boa forma de limpar-se de seus pecados.

Alguns levam consigo seus filhos – até mesmo recém-nascidos – para mergulhá-los também.

Nem todos, porém, fazem isso por motivos religiosos, como explica Andrei Roletski, músico que mora em São Petersburgo.

- Meu filho tinha oito anos quando o levei a um buraco no gelo de um rio, quatro anos atrás.

Agora, eles nadam no local todos os fins de semana, abrindo um buraco no gelo com um machado. Mas Roletski diz que nunca forçou seu filho, Igor, a mergulhar – o menino pediu para fazê-lo.

- Um dia, Igor pediu que eu jogasse água gelada nele e, alguns meses depois, quando eu disse que ia mergulhar, ele quis ir junto. [Igor] nem sequer espirrou nos últimos meses e seu corpo se tornou muito mais resistente a resfriados e a infecções.

Choque

Mas Irina Yefremova, pediatra do Centro de Medicina Esportiva de Moscou, adverte que mergulhar uma criança em águas tão frias, mesmo que por alguns segundos, pode provocar diversos problemas – desde simples resfriados até perda de consciência.

O coração das crianças pode simplesmente parar, diz a especialista.

Segundo ela, os recém-nascidos em especial têm um sistema de termorregulação ainda pouco desenvolvido.
- Uma mudança tão brusca de temperatura é um grande choque para o corpo. Em um minuto a criança está vestida. No minuto seguinte, está em água gelada. É algo muito estressante, especialmente para o coração.

Natalya, de 22 anos, é uma das pessoas que mergulharam em um buraco no formato de cruz feito no Rio Moscou neste ano.

- Eu nunca tinha sequer tomado um banho gelado antes disso e estava com um pouco de medo, mas todos diziam que a água era sagrada e limparia meus pecados, então fui adiante.

Natalya diz ter adorado a experiência, apesar de considerar que foi também doloroso mergulhar no momento em que a temperatura externa era de -26º C.

- Era como se o corpo estivesse sendo picado por mil agulhas ao mesmo tempo.

Igreja Ortodoxa

A crença popular de que mergulhar três vezes em um buraco no gelo durante a Epifania apagará seus pecados na verdade não recebe o endosso da Igreja Ortodoxa, que tampouco defende que o batismo seja feito sob baixas temperaturas – ou sequer durante a Epifania, explica Yakov Krotov, padre ortodoxo de Moscou.

- O batismo, benéfico para a alma, não precisa ser doloroso para o corpo. E o fato de que em tempos antigos a cerimônia era feita em rios não significa que batizar alguém na igreja com água morna seja menos benéfico.

Além disso, diz Krotov, a imersão em águas gélidas não era tão comum antes da Revolução Russa de 1917 – a prática cresceu em popularidade nos anos 1990.

Quanto ao menino sendo forçado a mergulhar na Sibéria, Krotov diz não aprovar a conduta dos pais, de não levar em consideração a opinião de uma criança com idade suficiente para opinar sobre seu batismo.

- Não importa se [a cerimônia] acontece em um buraco no gelo ou em uma igreja, um padre nunca pode ser abusivo. Isso não está certo.

A igreja batista Westboro, do Estado americano do Kansas, está planejando fazer um protesto no funeral de Elizabeth.

A atriz morreu nesta quarta-feira (23) aos 79 anos em Los Angeles.

A informação sobre o protesto foi dada por Margie Phelps, filha do pastor Fred Phelps, no Twitter.

“Nada de descanse em paz para Elizabeth Taylor, que passou a vida no adultério e fazendo gays se sentirem orgulhosos”, escreveu. “Eles estão maldizendo ela no inferno hoje.”

A igreja já havia planejado protestos nos funerais de Heath Ledger e de Natasha Richardson, mas eles não se concretizaram.

Eles foram processados por fazer isso no enterro de um militar que morreu no Iraque.

Ainda não foram revelados detalhes sobre o funeral de Elizabeth Taylor, apenas que haverá uma cerimônia fechada para amigos e familiares.

A atriz já manifestou o desejo de ser enterrada no País de Gales, ao lado do ex-marido Richard Burton.

Idosa carioca de 92 anos quer ler a Bíblia 210 vezes para cumprir “sua missão com Deus”

Adelina Souza dos Santos, moradora de Niterói (RJ), é um exemplo vivo de fé e amor pela Palavra de Deus. Aos 92 anos, sem poder mais frequentar a igreja devido a dificuldades de locomoção, ela está lendo em casa o conteúdo integral da Bíblia pela 208ª vez. Mais do que um recorde, a marca é digna de nota por simbolizar superação, devoção e reverência ao Livro Sagrado, além de servir de inspiração aos cristãos mais jovens.

Com a saúde frágil, ela já sofreu quatro AVCs (Acidente Vascular Cerebral) e usa aparelho auditivo, Adelina continua lúcida e cheia de disposição para reler as Escrituras Sagradas. Sua dedicação já foi reconhecida por diversas vezes pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) que já lhe agraciou com vários certificados do programa de leitura bíblica em um ano. Nos últimos anos, ela tem se superado e lido toda a Bíblia num tempo ainda menor, entre seis e oito meses.

Seguindo um ritual diário, Adelina realiza a leitura bíblica com muito afinco: Faz orações, copia e memoriza versículos e lê a Bíblia de 7 a 8 horas por dia. Com cinco filhos, quatro netos e um bisneto, a matriarca criou a família na fé cristã. Ela sempre procura transmitir a amigos e parentes as mensagens bíblicas lidas. “Minha mãe faz o chamado reforço espiritual, selecionando e escrevendo várias passagens da Bíblia para cada pessoa da família”, conta a filha Adeísa dos Santos.

A sede pela Palavra de Deus começou há cerca de 50 anos, quando Adelina herdou uma Bíblia do sogro. “Foi o testemunho de fé do meu sogro que me motivou a ler a Bíblia inteira”, relembra. “Cada vez que leio, sinto me aproximar mais de Deus. Tenho o conhecimento do poder divino e de sua misericórdia com as pessoas”, testemunha.

Mesmo diante da vasta quantidade de leituras que já fez, ela não tem o texto bíblico de cor e salteado na cabeça, como muitos pensam. No entanto, possui na ponta da língua pelo menos alguns versículos de cada um dos 66 livros da Bíblia. “É impossível gravar a Bíblia inteira. A Palavra do Senhor cada hora tem algo novo para ensinar”, relata.

Para quem não leu as Escrituras Sagradas por inteiro, Adelina incentiva. “As pessoas precisam conhecer o amor de Deus para com a humanidade. Esse é o caminho da verdade e da vida.” A fiel leitora já traçou nova meta: a leitura de toda a Bíblia até a ducentésima décima (210ª) vez. Assim, ela acredita que terá cumprido sua missão com Deus.